História da Ilha de Boipeba

História da Ilha de Boipeba

História da Ilha de Boipeba

A ilha de Boipeba localiza-se no município de Cairu, no litoral do estado brasileiro da Bahia. O seu nome deriva da língua tupi, com o significado de "cobra chata", denominação indígena para a tartaruga marinha. É vizinha à ilha de Tinharé (Morro de São Paulo), constituindo-se num apreciado ponto turístico da Bahia. Apresenta vegetação típica da Mata Atlântica, com árvores frutíferas nativas, várias espécies de palmeiras, restingas, recifes de corais e uma das maiores reservas de mangue do país. A igreja do Divino Espírito Santo é uma das atrações. A vila de Boipeba também apresenta arruamentos com mais de três séculos de existência.

A ilha possui seis praias: A Praia da Boca da Barra, Praia de Tassimirim, Praia da Cueira, Praia de Moreré, Praia de Bainema e Praia da Ponta dos Castelhanos ou Catu.

Em virtude do patrimônio natural, a ilha está integrada à Área de Preservação Ambiental das Ilhas de Tinharé e Boipeba. A região foi reconhecida pela UNESCO como Reserva da Biosfera e Patrimônio da Humanidade, estando inserida no Corredor Central da Mata Atlântica.

m'boi pewa (Boipeba) - é uma palavra tupy que quer dizer "cobra chata", em referência a tartaruga marinha de onde se originou o nome Boipeba.

Boipeba contempla floresta densa da Mata Atlântica, restinga, dunas, extensos manguezais e praias paradisíacas com coqueirais e recifes de grande valor ecológico e paisagístico.

Tartaruga Marinha

São necessários alguns pré-requisitos para se apaixonar por Boipeba. É preciso gostar de sossego, de caminhar (carros não chegam àqui) e de ficar descalço. E também é necessário gostar de praias desertas, piscinas naturais e noites estreladas. A ilha tem dois núcleos principais: Boca da Barra, onde está o píer e a maior parte do comércio, e Moreré, mais sossegada.